31.3.08

WHAT HURTS THE MOST



Existe aqueles cujo passatempo preferido é conhecer raparigas e darem esperanças falsas de que querem uma relação...
Existem os que estabelecem relação mas que, de repente, se lembram (passado um mesito ou dois) que querem experimentar outras coisas (qd digo coisas, digo raparigas) e entao fazem um reset total da pessoa com quem estão actualmente.
Existem os que não têm coragem de admitir que afinal o querem é andar a pinar por aí tantas mulheres quantas puderem (talvez para fazer uma espécie de álbum de recortes ou armazenamento de troféus...)
Existe os que ignoram a pessoa com quem estão
Existe os cobardes que não acabam uma relação mas que fazem questão de mandar uma ultima sms de despedida como "Ola bebe, já cheguei a casa. Só para dizer que te adoro muito". E é esta a ultima sms que se recebe dele...

Mas cá para mim, eles não existem em separado... são todos o mesmo...

23.3.08

video

12.3.08

CORVOS





Visitem e ouçam as músicas. Vão adorar!!!! --> http://profile.myspace.com/index.cfm?fuseaction=user.viewprofile&friendid=79130038

11.3.08

momento de inspiração II

”A casa foi preparada a rigor, o "teu canto" foi arranjado com um toque especial, cada pormenor do jantar foi analisado e decorado de modo a, quando chegasse a casa, os passos de preparação do mesmo fossem realizados quase automaticamente. Assim, o tempo dispendido na confecção do jantar seria mínimo...

Todos os passos da nossa noite estavam calculados...
O jantar seria feito sem pressa mas com o mínimo tempo possível. Enquanto isso, dar-te-ia a beber o vinho que me disseste gostar.
O jantar seria servido, à luz de velas, no meio de sombras, ao sabor do vinho... a ouvir-te e a ver-te...
Depois, os morangos com chocolate... e com o chocolate a troca de mimos, a meiguice com um toque do doce… as tuas mão a passarem no meu corpo, a deslizarem...

A ouvir a música que tu intitulaste como "nossa"...

sentir o teu corpo, sentir-te tocar no meu corpo, sentir-me segura com o teu abraço forte, com o teu toque

E tu ligaste

E não vieste…”

E eu acordei...