23.5.10

Globos de Ouro

São uma óptima terapia. A quantidade de material bruto que ali vai, vestidos pirosos, caras medonhas, sorrisos falsos e piadolas muito muito más. Tão más que nem eu sorrio (e todos sabem que sou uma fácil com as piadas secas!). Não dá para ficar só clada a ver...
Ali é que se vê que o povo português precisa de misturaros genes com outras raças porque isto a nivel de beleza está a bater no fundo! Ou então só mandam convites a quem tem como pré-requisito mais de 20% do corpo com plásticas. Tirando ali a Ruah que continua boa-como-só-ela!

21.5.10

Tenho duas sombras

A minha, esbelta como só ela, e a estagiária que me persegue até mais não.

16.5.10

Mais um fim-de-semana

E mais um fim-de-semana, mais uma dose de aulas. E neste começou oficialmente o tronco de fisioterapia no Desporto. A turma já não é de 50, mas de 10. As aulas já não são de disciplinas gerais, mas específicas. Sendo assim, ontem apareceu-me à frente o primeiro prof para falar de suplementos alimentares e Doping.
Só ex-atleta de alta competição e que por acaso até é médico (shame on him). E para acabar de vez com este assunto, vou-me concentrar nas carnitinas e na cafeína para não ter de olhar para onde os olhos me chamam!

Nada a registar

A operação Fátima correu muito bem. E nunca mais acabava. De terça às 17h a sexta às 10h foi a diversão, a tristeza, o cansaço, as brincadeiras, os ralhetes, as formaturas, e tudo e tudo e tudo. Até gente que caiu por ravinas abaixo e amputações e yada, yada, yada. Nada a registar.

11.5.10

Assim tá bem

A minha vizinha anda a tirar um curso de estética e de há uns meses para cá tem sido: "Quase Eu, acabei de comprar cera de chocolate, importas-te de a vir experimentar?", "Quase Eu comprei esta semana Gelinium, preciso de a experimentar, podes vir?", "Quase Eu, uns cremes", "Quase Eu, uns vernizes", "Quase eu preciso de treinar pedicure"... e desses meses para cá é sempre depilação feita, manicure prontinha, massagenzinhas á borlix. Assim tá bem!

10.5.10

Fátima e o Papa

Meus amigo, se há terra pacata é Fátima. Se há terra calma, é Fátima. Tão pacata e calma que para se beber uma café decente, ou ir às compras, ou ao cinema tem que se ir a outro lado que não Fátima.
Mas essa calma e pacatez desaparecem por completo com a chegada dos peregrinos.
Ele é pára-arranca que mais parece a IC19 às 8 da manhã, ele é carros a 20 à procura de lugares, ele é peregrinos a passar um-a-um nas passadeiras. Dá vontade de dar uma chapada-das-que-deixam-marcas-na-cara ao pessoal. Mas pronto, o pessoal também é cheio de fé, deixai-os andar. (Eu é que não tenho paciência nenhuma na estrada, é mesmo feitio).
Mas que chateia, chateia. Deixamos de ter os estacionamentos habituais, deixamos de fazer 5 minutos de carro para passar a fazer 40 minutos de puro pára-arranca (25 dos quais parados à frente de qualquer passadeira). O que também nos faz desenvolver a habilidade de escolher os caminhos com menor número de passadeiras possível.

E com a chegada do Papa as coisas têm piorado de dia para dia.
Ele já é hospitais do INEM preparados em cada esquina, motas da protecção civil, postos de comando espalhados pela cidade. Assim vale a pena. E como não é excepção, aqui a je vai entrar ao serviço no quartel a dia 11 e só vai sair a 14.
O que até se torna muito phopho tendo em conta que o Papa vai ao meu local de trabalho abençoar a primeira pedra de uma futura instalação e eu não vou poder estar lá para o cumprimentar (e pedir-lhe uma bençãozinha que bem ando a precisar...). Ele há com cada tiro na sorte.

6.5.10

Acho que já percebi a estatística

Se eu fizer o exame de métodos quantitativos sem saber a ponta-de-um-chavelho, tenho uma alta probabilidade de chumbar, estando esta variável correlacionada positivamente com o aparecimento de depressão (mais conhecida por depressão académica). Não?

5.5.10

Estou perdida

No meio da estatística multivariada. Qualquer coisa menos coisa, entre a análise factorial e as comunalidades... Porque o Bartlett, o Kaiser e as rotações das matrizes identidade já eu sei...
Vou acolá cortar os pulsos e já venho.

2.5.10

Uma pessoa não pode acompanhar outra a fazer compras

É que acaba comprando mais que a outra.
De manhã lá fui eu a Lisboa, ter com a família e à tarde acabo mesmo a comprar mais do que devia.
Coisas que de momento não me são necessárias mas que espero que o venham a ser, em breve.
Um vestido de gala lindo de morrer só de olhar. Uns sapatos com, não dez, mas 12 centímetros que me deixam de sorrizinho esgalhado. Bijuteria linda, linda que só ela. Roupa prática, umas t-shirts (que tenho fé que o calor venha com aquela força que nos deixa sem respirar quando saímos porta fora)... Como se não houvesse lojas por aqui perto, acabei mesmo por me desgraçar e masturbar-me o Ego em plena capital, como se não houvesse tomorrow.