31.10.10

A confiança que os meus pais depositam em mim é poderosa

Eu - Bem vou-me embora. Até manhã.
Mãe - Cuidado se tiveres serviços durante a noite. O tempo está terrível.
Eu - Queria ver se não havia serviços hoje...
Pai - Cuidadinho com o volante da ambulância.
Eu - Acho que hoje não sou motorista. Deve lá haver alguém.*
Mãe e Pai (em coro) - Graças a Deus!!!


* - e já eu disse "acho" para não ter de ouvir o testamento-cuidado-com-a-chuva-e-o-piso-e-tudo-e-tudo-e-tudo... Mas é bom saber que há uma confiança poderosa em mim...

28.10.10

Agora sou eu que estou a ganhar coragem

Há cerca de um mês e pouco comecei um domicílio. O Sr. M. tinha uma doença oncológica e fez uma cirurgia que o deixou muito debilitado, dois meses acamado e algumas complicações pós-cirúgicas.
Quando o conheci o Sr. M. cançava-se a falar. Custava-lhe andar. Não ficava 2 minutos de pé sem se cansar.
Ontem fez 30 minutos de bicicleta. Hoje vamos correr os dois.

25.10.10

É justo!

A minha mãe dá nabos à vizinha.
Ela dá-nos romãs.

24.10.10

Pronto e o modelito que se arranjou foi assim






O único senão de aparecer à frente a minha mãe neste estado é vê-la com as lágrimas nos cantos dos olhos a desejar-me boa sorte. Porque tá na altura de lhe arranjar um genro.



O que é certo é que os sapatinhos caíram-me que nem uma luva e os mais-de-10 cm que tantas dúvidas me deram foram um mimo durante a festa toda.

21.10.10

Pronto. Já cá cantam a pochete, a bijuteria, o casaquinho e o casacão (que bem me cheira que me vá dar um jeitaço depois das 20h). Tou pronta para o marriage.

18.10.10

Damn you shoes





Pois então as coisas acalmaram no estudo e já ando à caça dos derradeiros pormenores (que para qualquer mulher são pormaiores) do casamento do ano... Estes já cá cantam...





PS - uma pessoa só sabe se curou o entorse de dois meses quando aparecer na festa com um sapato destes. É a prova de fogo para saber se o tratamento "em-casa-de-ferreiro-espeto-de-pau" funciona nos entorses...

17.10.10

SExtas-feiras

As sextas-feiras já começam a revelar uma espécie de rotina:
Porto de Leixões -> sardines on carvon -> The Wine Bar -> muito sono nas aulas das 9h do dia seguinte.

Vida de estudante é f*****

Quero mostrar a minha revolta!

Ontem fui à despedida de solteira da noiva. Não houve pilas de plástico. Tenho dito.

12.10.10

Não querendo arranjar mais um motivo para não ir estudando...

Tenho de arranjar sapatos para um casamento que tenho daqui a uns dias... Que isto de andar a chover dia sim/dia não, não me está cá a agradar muito.
Uma vez que já vou fazer o sacrifício (cof) de ir de vestido, não há-de haver frio que me chegue aos dedinhos dos pés. As pernas, essas foram feitas para sofrer, por isso vão ao léu. Parece que as costas também, que a minha única alternativa é ir de vestido cai-cai. Tirando isso, ainda falta o casaquito já que a companhia de aquecimento também cá falta. Assim de momento não me lembro de mais nada, mas deve faltar mais qualquer coisa.

Sou gaja de apanhar um resfriado/constipação/gripe/(...), o que for, mas já se sabe, a mulher foi feita para sofrer...
Desta feita o estudo é mais agradável... Testes médico desportivos, aptidão física, avaliação cardio-vascular tudo numa enfiada que é para poupar papel. Mas fds, é preciso ter azar. Quando uma pessoa tem mesmo que ficar em casa a tentar ler páginas infinitas sobre o assunto, é que o sol se lembra de espreitar cá para fora e rir-se ironicamente da minha triste figura com a cabeça enfiada entre os livros.
O (tema do) estudo não é mau mas assim fica difícil...

10.10.10

Conquistou-me

O meu prof, com um ar de alucinado-saudável, que só mandava piadolas, acabou por me ir conquistando aos poucos. O Dr Basil Ribeiro, pah.
- Médico ligado ao futebol e basquetebol.
- Faz VMER no Porto (o que só aí me conquistou fácil).
- Trabalha nas urgências de um hospital do Porto (onde já nos convidou para irmos acompanhá-lo num turno).
- Organizador de Jornadas Medico-desportivas do Leixões Sport Club.
- Director da revista de medicina desportiva (acesso online).
- Ontem desabafei sobre uma determinada lesão desportiva e ele quase o curava sem o ver!
- (Ainda só) escreveu pelo menos quatro livros

O gajo é o meu herói. Ele é que sabe pah.
E o melhor é que um dia vou ser assim!

6.10.10

A casa está vazia.
A mais pequena entrou na faculdade e, de repente, tudo fica vazio. Estranhamente, já nada faz sentido. É tudo o mesmo, mas diferente. A casa faz eco. Os sofás já são demais. A casa-de-banho passou a ser para uma e já não a vejo todos os dias a lavar os dentes. Estranho ritual que tanto me faz falta.

2.10.10

Sardinha da boua (ainda)

É em Matosinhos, numa doca qualquer.
A sardinha devia ter sido acabada de pescar, ou era eu que estava com um buraco no estômago tal que quase já se via o duodeno, após poucas mas muito intensas horas de aulas (numa sexta-feira à noite tudo é intenso). Mas isso não interessa nada.
A turma é uma amostra (oito!), e mesmo assim conseguimos reunir uns três para ir jantar juntos. Poucos, mas bons! Um pseudo-jantar-de-turma, com entradas de pimentinhos, a bela da sardinhada, com músiquinha ao vivo. Não podiam era faltar as (tão-dispensáveis) conversas acerca do estado da fisioterapia, até às tantas da manhã.
Mesmo assim, para a semana há mais!!!