20.1.13

Mas no fim tudo compensa

Quando o meu mais que tudo me chega a casa tarde, depois de eu ter estado o dia todo sozinha-mais-os-lenços-e-os-Halls-mel-e-limão (o que é todo um conceito diferente de estar sozinha, é mesmo um nível abaixo de estar sozinha, dado o nível de carência afectiva), por vezes sem luz, por vezes só sem televisão.
O homem chega-me a casa e enquanto me conta quantas vidas salvou (que nestes dias é como quem diz quantas árvores cortou e quantas garagens desinundou e quantas casas ficaram sem telhas e chaminés e calhas e tudo e tudo e tudo...) massaja-me as pernas e os pés. Depois ainda me faz um copo de leite quentinho com mel.
Compensa tudo.

19.1.13

Depois da tempestade de ontem

aqui a cidade ficou um caos. Recebemos mensagens dos bombeiros a pedir auxílio e o senhor meu marido nem pensou duas vezes. Deixou-me sozinha com esta gripe que não me larga e lá foi ele. Não temos rede de telemóvel desde o início do dia e eu aqui, com a minha gripe e sem saber dele.
Só por causa das tosses fiz um pão de água com queijo e fiambre no forno e sou mulher de o comer sozinha!
 

Sou só eu?

Não consigo inserir imagens no blog. Só a mim é que isto está a acontecer?

16.1.13

A começar bem o ano

Estes já cá cantam! E que bem que ficam na minha sala....

4.1.13

Desabafo

Neste preciso momento, agorinha mesmo, devia estar a dar um AVC ou uma caganeira que durasse cinco dias ou uma trombose no cú ou uma caliqueira maior qualquer (assim, à escolha do freguês!) à senhora minha vizinha de cima que se lembra quando bem lhe apetece de se pôr a varrer às 7 da manhã. Mas não é um varrer qualquer, é um varrer vigoroso, a bater contra rodapés como-se-não-houvesse-amanhã e a sacudir a puta da vassoura no chão. E depois é o lavar a casa-de-banho, a puxar o autocolismo, a bater vigorosamente nas louças da dita.
Puta que a pariu.
Agora o piorzinho mesmo é a falta de caráter que a leva a não abrir a porta quando lá vamos com raios a sair dos olhos. A parva ainda por cima pensa que podemos pensar que foi imaginação nossa, ou obra do espírito santo. Sim, porque com o barulho que fez e não abrir a porta é mesmo para nos fazer tomar de parvos.
Por isso mesmo, devia estar a dar-lhe uma caliqueiras das más!!!!!!

3.1.13

Deviam existir leis... mas das boas

E uma que devia ser obrigatória era "Não podem existir relações íntimas entre pessoas que trabalham no mesmo serviço".
Tou farta de ouvir o mesmo macaco (colega meu) a gritar com a mulher (que é só a minha chefe) cada vez que lhe apetece. Ou porque a chefe deu razão a uma pessoa que simplesmente tinha razão. Então toca de gritar com a mulher. Porque a chefe lhe pediu para fazer algo que simplesmente é sua função. Toca de gritar com ela. Porque a chefe o chamou a atenção de chegar meia hora (meia hora!) depois da hora de entrada. Toca de gritar com a mulher.
 
E ninguém pode dizer nada. Porque são marido e mulher e não convém meter a colher. Eles que se resolvam. Ela tem legitimidade para fazer tudo aquilo e ele é um cabrão desmedido. Enfim. Essa era uma lei válida. No meu simples modo de ver.

2.1.13

2013

Nem tive tempo para vos desejar um Ano Novo cheio de coisas boas.
Que seja em tudo melhor que este ano. Que seja recheado de Oportunidadese e que as mesmas sejam aproveitadas ao máximo!
 
 
Resoluções, não há, mas a viagenzinha até Londres já está organizada (que cá o marido é um óptimo organizador-de-viagens-e-excursões-desde-que-pensadas-com-tempo).
E pronto, um Ano Bom para todos vós!