20.1.13

Mas no fim tudo compensa

Quando o meu mais que tudo me chega a casa tarde, depois de eu ter estado o dia todo sozinha-mais-os-lenços-e-os-Halls-mel-e-limão (o que é todo um conceito diferente de estar sozinha, é mesmo um nível abaixo de estar sozinha, dado o nível de carência afectiva), por vezes sem luz, por vezes só sem televisão.
O homem chega-me a casa e enquanto me conta quantas vidas salvou (que nestes dias é como quem diz quantas árvores cortou e quantas garagens desinundou e quantas casas ficaram sem telhas e chaminés e calhas e tudo e tudo e tudo...) massaja-me as pernas e os pés. Depois ainda me faz um copo de leite quentinho com mel.
Compensa tudo.

Sem comentários: