4.2.13

Foi desta! (pensei eu)

Mas não foi.
 
Foi desta que o maluco-do-meu-trabalho descompensou, berrou, ameaçou, disse asneiras, foi agarrado para não bater... enfim, iamos todos morrendo de susto porque sabe-se Deus o que é que se passava naquela cabeça (e já eu penso que um dia o homem entra-se-me pelo serviço e mata alguém).
Mas depois vai-se a ver e ninguém faz nada. O discurso do "É maluco, coitadinho" não me inspira confiança e a coisa começa a tomar contornos graves. Já avisei o marido que se um dia chegar a casa e eu não estiver e não tenha dado notícias é porque fui raptada e assovalhada ou qualquer coisa do género em que o maluco-do-meu-trabalho está envolvido.
Tenho dito.
 

Sem comentários: