31.3.14

Cavalinho

As malas da Cavalinho não são a minha eleição, nunca achei grande piada. Agora a marca aparece com calçado e estes sapatinhos estouraram a minha vista.
Estou assim meio não-sei-se-goste-não-sei-se-odeie (principalmente pelo calcanhar aberto), mas surpreenderam-me. Neste momento estou mais inclinada para o "gosto", mas está mesmo mesmo a apetecer experimentá-los!*


* por outro lado não sei se são as saudades de usar um sapatunfo de tacão alto. Já lá vão praí uns 7 ou 8 meses que não uso alguns centímetros de felicidade nestes pés.

27.3.14

Gosto de Edições Especiais

Gosto de comprar as edições especiais de filmes que gostei e ver os comentários e cenas adicionais e que mais. Pronto, há defeitos piores.
E, um ano depois de comprar isto:
fiquei completamente dececionada quando descobri que tudo se resume a isto:


Como ficamos, afinal?

Ainda sobre este post, aparece este recente-pai-que-até sabe-desenhar com este desenho:
E depois outros tantos que me fazem rir, porque conferem tal e qual!




23.3.14

Perdidamente apaixonaaaaaaaaada....

Eu passo horas a olhar para a minha E. e a assimilar cada expressão que faz, cada bocejo, espirro, franzir de sobrolho ou beicinho. É linda até mais não. Estou perdidamente apaixonada, uma paixão que não se explica, que não se percebe. É paixão no seu mais puro sentido. Como é possível que assim seja eu não sei, mas é mesmo um sentimento que me assola. 

* ainda me custa dizer "filha"

21.3.14

Não há direito

Ainda ninguém tinha achado parecenças na minha E. Iam mandando uns bitaites: "Ah e tal, o queixo é da mãe"; "o nariz só pode ser do pai, porque o da mãe não é bem assim"; "os olhos são os da mãe!", "as expressões são do pai, a maneira como faz assim-com-a-boca"... Enfim, um rol de sentenças qure se iam fazendo da criatura.
O que é certo é que realmente ainda não tinha conseguido perceber se isto ou aquilo saía a mim ou ao pai.
Até ontem. As dúvidas acerca do que a minha E. herdou desvaneceram-se quando a minha sogra me mostrou as fotografias do meu J.-versão-recém-nascido. É tal qual!
Não há direito! Acabam assim com as esperanças de uma recém-mamã de ter conseguido aprimorar a criatura com o seu toque pessoal. Até nos olhos (que são iguais aos meus) ainda fica a dúvida, porque há sempre quem ainda defenda que podem mudar. 
Bastou falar que a Primavera "abalou" logo... -.-´

19.3.14

Estes dias são assim uma injeção de Boa Disposição


15.3.14

Afinal tinha abdominais. Agora já não.

Uma pessoa apercebe-se que realmente existemiam abdominais neste corpinho quando se tenta espirrar e os mesmos abdominais que foram esquartejados há uma semana não nos deixam. Alertam-me que estão ali. Em forma de restos mortais. Mas estão.

14.3.14

Já faz uma semana

Faz já uma semana que passei pela mais gratificante experiência da minha vida. E assustadora, e maravilhosa, e dolorosa, e apaixonante....
A criatura não se resolveu pelo que não fomos de modas e lá tivemos de provocar o parto. 
No meio de tantas dores, o que me preocupou foi sempre o sofrimento que a menina estava a passar. Sim, a pequena E. esteve em sofrimento algumas vezes, pelo que para o meu lado a coisa não correu bem (o trabalho de parto teve de ser atrasado, o parto normal não correu bem apesar das ventosas terem sido armas-de-recurso, e acabámos na cesariana), mas para o dela foi bem pior. 
Sustos e pânicos à parte, ainda estou em convalescença e isto de me sentir uma inválida é só a pior parte de todas: pedir ajuda para me levantar, para pôr a menina a arrotar, correr para a wc a cada hora para que a bexiga não faça muita pressão na(s) cicatriz(es)... Enfim. Mais uma semana e espero já poder curtir a minha E.
Estou tão apaixonada que parece-me impossível. Tudo nela é perfeito (até o choro e as birras!).