31.12.14

Strange habits

O dia 31 de dezembro é sempre o dia em que tenho de ter tudo como eu quero. Tenho. Porque no meu mais íntimo pensamento, o que quer que aconteça hoje repercute-se pelo ano inteiro. Não,  não é bem repercutir.  Melhor, gosto de entrar no novo ano com tudo direitinho como se eu fosse um menina certinha (-.-'). E não,  não tem  nada a haver com atitudes (o que torna este hábito mesmo, mesmo estúpido, e acho que se continuar a falar sobre isso não melhora).
Hoje é o dia em que não posso continuar a ter roupa para lavar. Literalmente. Ponho a roupa toda a lavar. É o único dia em que faço a cama só porque sim (não é porque vem gente a casa e pode achar que sou messy, é mesmo porque é dia 31 de dezembro). Não posso ter louça para lavar. Aspiro porque não posso ter o chão com uma migalha. Basicamente faço o máximo de limpeza que conseguir. Tenho de ter sempre a depilação feita. E as unhas arranjadas. E o cabelo esticado. Não posso ter nada para me apontarem.
Amanhã posso. Hoje não.

Eu e as amizades

Não sei se me arrisco a dizer uma coisa acertada. Que poucas pessoas " vão comigo" às primeiras. Sou uma pessoa bruta a falar e que não pensa no que vai dizer, o que por vezes pode ser mal interpretado. Isto para dizer que por ser assim (gostava de lhe chamar "genuína" ou mesmo "maneira estúpida de ser"), são raras as vezes qe as pessoas gostam de mim às primeiras.
Mas quando isso acontece, sinto que arranjo amizades que ficam para a vida.
Hoje fui lanchar com uma pessoa que me cativou de coração. Nas aulas pós-parto éramos 5. Entre muitas dúvidas e incertezas que partilhámos,  marcámos sempre lanchinhos todos os meses. Dei-me sempre bem com a mãe D. e ela deu-se sempre bem comigo. 
Hoje voltei a lanchar com ela. É daquelas amizades genuínas, estivemos juntas umas 10 vezes e é como se nos conhecêssemos há imenso tempo. Ou foi o facto de termos tido bebé com 4 dias de diferença (isto de ser mãe afecta-nos de muitas maneiras, a ela pode ter afectado a sua capacidade  de avaliar os outros).
Isto para dizer que adorei o lanchinho que tive hoje com a mãe D. e a sua piquena R.

30.12.14

O Natal já passou

Este ano foi cá em casa, no quentinho que a piquena não anda famosa para andar na rua depois da meia noite.
Foi um Natal produtivo. 
A piquena recebeu muitas prendinhas que lhe agradaram. E a mãe também.  
Isto de ser mãe muda muita coisa e se o título de "mãe" serve para nos levantarmos de madrugada para dar mamoca, serve também para facilitar a escolha do pessoal em termos de prendas: alguém decidiu que as mães gostam de pijamas polares. Até não faz mal. Mas no mesmo ano receber 3 pijamas polares deixou reservas para os próximos 10 anos.  Enfim,  este ano foi diferente e o pessoal teve pena desta mãe e foram muito fofinhos. Prendas poucas mas bonitas, fofinhas, supé-lindas!


Mala e toalha de mesa da mãe,  pack Friends do marido, gola e vernizes da mana.


Oferta muito fofinha do marido: as nossas ftos em forma de coração,  em vidro 1mx1m. Só para eu deixar de dizer que o homem não é romântico.  

Quanto às prendas da criatura, ainda estamos para descobrir as influências que terão na sanidade mental da mãe.  Senão vejamos:
- uma lagarta,
- um piano,
- um telemóvel, 
- uma máquina fotográfica, 
- uma andarilho,
- uma quinta com animais,
- um comboio, 
- um telefone...
todos eles tocam. Músicas.  Algumas menos irritantes, outras que repetidamente se tornam insuportáveis. Outras com m nivel sonoro que os colocaram de parte (escondidos algures entre o limbo e alguma constelação ainda por descobrir).

Ah e a primeira prenda da piquena E. para os papás: uma bronquiolite. 

11.12.14

Assim como eu já comprei as prendinhas todas, também as prendas que me vão ser oferecidas já estão compradas. E desta vez não vão ser surpresa.
Isto é fácil, se o marido não consegue surpreender com as prendas, desta vez foi-lhe dada a lista das prendas que ao me oferecer teria a sorte de não me ver com o nariz engelhado.
Ficaram a faltar algumas coisinhas, como as que se seguem, mas, oh well, Natáis não faltarão. E eu estou sempre recetiva, não é necessário ser Natal.
 
 
Relógio One All  Mine da Pipoca Mais doce (110€)
Brincos Snowflake da Omnia (19,80€)

Anel Pandora (99€)

7.12.14

As prendas e Natal já estão compradas. São poucas. Mas estou satisfeita.

6.12.14

Finalmente

Isto de ser mãe não é pêra doce. E eu ainda tenho (tinha) um voucher pra uma massagem k o marido deu nos anos.
Foi só A melhor massagem de todos os tempos. Circuito no Spa, massagem de mais de 1h (simmmm mais de 1 hora, eu pensava que isso nem existia) e no fim o chazinho e biscoitos.
Saí de lá outra pessoa. 

2.12.14

dezembro

O tempo passa a correr.
De repente estamos em dezembro, à tarde já é noite e o Natal está à porta.
Não tenho prendas para ninguém,  não tenho ideia de prendas para ninguém mas nao me importava de receber um novo guarda-roupa que anda tudo a cair-me do corpinho que agora está mais esguio do que antes de ter engravidado.
Pronto, só para dizer que estou assustada com o pasar do tempo (não tarda sou avó e nem dou por ela).