26.9.15

Uma tristeza, é o que é.

Este fim-de-semana é assim. Mais um sem o marido.

25.9.15

Ai, estes "ares" do Norte

Uma das paragens da mini-viagem que fiz foi ao Porto. Porquê? Porque aqui a madame ainda não tinha ido levantar o diploma do Mestrado. 
Xinapá, já foi há tanto tempo que se não fosse pelos mais de 100€ que já tinha pago (sim, 100!!!), deixava-a lá a ganhar bolor. Bem, ao tempo que foi que é gaja de já ter uma nódoazinha de bolor mesmo.

Nisto, chego aos serviços centrais do Politécnico do Porto e deparo-me com um recepcionista assim gato-mas gato, daqueles que até dá gosto ver, quanto mais conversar...! Louro, olhos claros (nem vi bem a cor, tentei desviar-me do seu olhar, não fosse ficar hipnotizada), porte atlético.
Eu - Bom dia, vinha levantar a minha carta de curso.
Ele - Bom dia. Já lhe disseram que estava pronta, sra?
Eu - Sim, práí há uns 4 anos!
Ele olha-me assim com um ar intrigado a ver se eu estava a ser irónica ou se estava a brincar com a situação. Mas levantou uma sobrancelha em câmara lenta ao mesmo tempo que sorria assim tão sexy, tão sexy, que só me apetecia saltar o balcão para me sentar no seu colinho.
Eu (em pensamento) "sou uma batata casada, sou uma batata casada, sou uma batata casada" e repeti mentalmente enquanto assinava uma catrefada de papelada, me virei e segui caminho.
Ai, estes ares do Norte...


24.9.15

O outono é isto

Entrar numa reunião as 19h e sair as 20h30 e ser de noite. Não estava à espera.

23.9.15

Estar casada é também acompanhar as etapas da pessoa que está conosco, ou seja, da "nossa" pessoa. E por isso hoje vamos rumo a Guimarães para visitar um possível investimento, uma melhoria contínua do novo trabalho do marido.
Obviamente que a viagem também se aproveita para pôr o romantismo em dia, a E. ficou em casa da sogra. Amanhã esperamos estar de volta com o coração cheio (em todos os sentidos).

22.9.15

# música

Há músicas que fazem parte de nós. E há músicas que, de tanto fazerem parte, se tornam difíceis de esquecer.
Esta é uma delas. Ainda hoje me custa ouvi-la por me fazer recordar uma fase da minha vida que não quero recordar, principalmente porque sabia que era mesmo disso que se tratava: uma fase. Foi difícil ultrapassá-la, esquecê-la e avançar. Mas, oh well, é por ter passado por tudo que me tornei na pessoa que sou, certo?
Hoje encontrei esta versão linda de morrer. E o bom da música é também isto: uma nova versão para me lembrar que a fase que tive me tornou numa nova eu.

3 anos de felicidade


17.9.15

Esta semana está mesmo perfeita. Mesmo, mesmo, para antecipar a próxima (que é de férias).

12.9.15

Reflexão do dia

Acordar ao som da bezerra a tocar para fogo é assim um sobressalto tipo sentir o fígado comprimir-se ao mesmo tempo que os intestinos chegam aos pulmões. Ah e com um pequeno AVC à mistura. 

6.9.15

Parece incrível mas foram precisos 14 anos (sim, quatorze!) para ver pela primeira vez o Diário de Bridget Jones. Que vida patética a minha.
Foi preciso um fim-de-semana sozinha (sem marido, está claro, que a E continua aqui agarrada às minhas peles das pernas) e 6 sites manhosos depois para conseguir encontrar um sítio online para  ver o Diário da tão falada Bridget. Ah, e o segundo diário também.
Pronto, foi isto este fim-de-semana.

1.9.15

Pecado "gulósico"

Finalmente um artigo de interesse em Portugal, à parte das listas de "Com quem vais ficar até ao fim da tua vida?" ou "Em que ano vais morrer e com que causa?" ou "Qual é o teu destino de praia favorito, segundo o teu perfil de facebook?". 
Aqui está a lista dos chocolates mais e menos calóricos à venda em Portugal.

Sou capaz de ter cometido algum pecado hoje, mas afinal, nada de muito calórico, eheheh.
E esta chuvinha a chamar o outono? E pensava eu que ainda haveria algum resto mortal de verão por aí. Mas nãaaaao, já só cheira a terra molhada, temos fresquinho de manhã e à noite, leva-se casaco de malha no braço e alpercatas e pronto, o verão-que-é-bom pufff, gone, finito.