14.11.15

Com a saudínha dos filhos não se brinca

Quer dizer, aparece-me a catraia com qualquer coisa cor-de-rosa colada na vista (sim, não fez a coisa por menos) e lá fomos nós ao hospital ver se eles conseguiam tirar aquela bodega, já que os pais não conseguiram, mesmo sabendo de todas as técnicas pré-hospitalares para coisas do género.
E, de repente, estávamos no H. D. Estefânia em Lisboa e seguimos para o H. São José.
Uma bodega cor-de-rosa.
Pfff, às duas da manhã lá conseguiram tirar aquilo (sabe Deus o que era porque os leigos não conseguiram perceber) e às 04:30 estávamos em casa.
Não havia programa melhor para se ter à quinta-feira à noite.
 

Sem comentários: