19.6.17

Em relação a tudo o que se tem passado*

*incêndio no Pedrogão Grande e 64 mortes

Eu só me parece que toda a gente tem algo a criticar sobre coisas que não se controlam.
O fogo não foi posto, as mortes que ocorreram, dizem os especialistas, que foi por inalação de fumos tóxicos, 

o que é certo é que por todas as redes sociais:
- se condena a gestão dos meios no terreno (e maior parte dessa gente não é bombeiro nem está no terreno para saber como se consegue gerir os mais de 2250 operacionais no terreno);
- todos condenam os que ficaram em casa (como se salvar a casa fosse prioridade);
- condenam os que foram embora (porque deviam ter ficado em casa ou recolhidos para não serem apanhados pelo fogo);
- condenam o corte da estrada;
- condenam o jornalismo em portugal (como se não estivessem já habituados à tristeza nesta área. Mais fácil é aprender a filtrar o que se houve do que esperar uma reviravolta neste campo).
- condenam e fazem petições para que os reclusos limpem florestas;
- condenam e fazem petições contra os reclusos limparem florestas (porque obrigar é trabalho de escravo);
- condenam os políticos que permitiram a reflorestação;
- condenam porque sim.

Até vem a outra não-sei-das-quantas dizer que os bombeiros coçam os c****** 9 meses e só trabalham 3.

Eu condeno a ignorância.
Porra, morreram 64 pessoas! Ficaram filhos e pais a chorar estas mortes que não se puderam controlar. E só se vê gente a apontar dedos.
Eu ando em casa (quase a chorar) à espera que o marido chegue do Pedrogão Grande vivo, por ter ido ajudar, por ser um dos 2250 operacionais no terreno, por estar há quase 24h lá, por saber que as condições são péssimas (não têm onde descansar, sem uma refeição decente, cansaço físico no limite).

Condeno a ignorância, porque acredito que só a ignorância permite esse arrotar de críticas sem fundamento e conhecimento de causa. Há tanta coisa a se poder fazer em vez de estarem enfiados nas redes sociais a condenar tudo e todos. Condenem o fogo! Condenem a trovoada seca! Porra, pensem no que é que nós podemos fazer para melhorar esta situação?

Sem comentários: